Serra do Gerês

 A Natureza em Estado Puro

Nesta Página encontrará diversos locais e a melhor forma de chegar a eles, que não deve deixar de conhecer se alguma vez visitar a Serra do Gerês, num misto de Beleza e Aventura.

 

Rio Arado e Pedra Bela

Partindo das Caldas do Gerês, siga em direcção à Barragem da Caniçada. Poucos metros á frente encontrará um entroncamento à esquerda com a indicação "ERMIDA". Vire nessa direcção e siga por essa estrada que tem tanto de apertado como de belas paisagens mas com cuidado e atenção redobrada. Quando chegar a "Ermida" acaba o luxo do alcatrão e começa a "Terra Batida". Suba sempre por essa estrada até encontrar um entroncamento com as indicações "Pedra Bela" à esquerda e "Cascata do Arado" à direita. Tome o rumo da direita e siga o caminho com o rio à sua direita até à ponte que faz a ligação com as duas margens.

 

 

Atravesse a ponte e estacione o carro. Avistará umas escadas que dão acesso ao miradouro da "Cascata do Arado".

 

Aprecie a beleza da mesma. Se tiver calçado apropriado e espírito aventureiro, continue a subir até ao alto onde poderá observar um pequeno riacho que desagua no Rio Arado e outra bela cascata mais acima com belas Lagoas. Consoante a altura do ano poderá tomar um belo banho refrescante nas águas límpidas.

Retemperadas as forças, volte ao carro e faça o caminho inverso até ao entroncamento e siga em direcção à "Pedra Bela". Siga sempre pela estrada de terra aproveitando para desfrutar do verde que o rodeia e com um pouco de sorte avistará alguns "Garranos" à solta. Chegando ao alcatrão, vire à esquerda e poucos metros acima encontrará um dos belos miradouros do Gerês. A "Pedra Bela". Cuidado se tem vertigens.

Regresse novamente ao alcatrão e desça sempre pelo alcatrão até às Caldas do Gerês. 

 

Vilarinho das Furnas

Partindo das Caldas do Gerês em direcção à Barragem da Caniçada, atravesse-a e siga na rotunda para o "S. Bento da Porta Aberta" e continuando passa pelo "Campo do Gerês". Siga a indicação à Barragem de Vilarinho das Furnas. Estacione o carro no largo aí existente e atravesse a pé a barragem aproveitando para admirar a magnifica paisagem que a rodeia. Após atravessar a Barragem siga a estrada de terra à sua direita. Tenha atenção ao calçado pois a caminhada dura mais ou menos 45 minutos a não ser que tenha moto ou bicla que é bem mais cómodo e mais rápido. Ao chegar ao entroncamento vire à direita. A meio passará por cima de um pontão de cimento e aprecie a cascata artificial. Siga sempre por esse caminho até encontrar o que resta de "Vilarinho Das Furnas".

 

 

Cuidado com as pedras soltas e escorregadias. Deixe tudo como encontrou e lembre-se que já por ali passaram muitas gerações. Regresse pelo mesmo caminho que fez.

 

 

Mata de Albergaria

Seguindo o percurso que vai do "S. Bento da Porta Aberta" para "Vilarinho das Furnas", de pois de passar por "S. João do Campo" encontra um entroncamento à direita com a indicação de "Portela do Homem". Vire ai à direita pela estrada de terra. Coloque o contador de Km parcial do seu veiculo em zero e siga as seguintes indicações:

 

 Km        Pontos de Interesse              

 1,6 -  Ribeiro Sarilhão.Casa do Guarda

 2,1 -  Cabana do Guarda e placa a indicar que entrou na "Mata de Albergaria".

 3,3 -  Ao lado esquerdo encontra uma grande mancha de Azevinho, espécie protegida logo, não estragar.

 4,0 -  Ponte de madeira sobre o ribeiro do Pedrado. Junto a ela alguns marcos milenares.

 5,5 -  Mais marcos milenares à direita.

 5,8 -  Fonte da Balsada ao seu lado direito.

 6,4 -  Ponte de madeira sobre o Rio Macieira.

 6,6 -  Casa da Albergaria.

 6,9 -  Fim do percurso. Estrada de "Portela do Homem" (3Km), "Caldas do Gerês" (9Km).

"Torneros" - A banheira de água quente

Partindo das "Caldas do Gerês" em direcção à fronteira de "Portela do Homem". Atenção às estonteantes curvas ao longo de toda a subida. Ao fim de 3 km encontrará a ponte sobre o Rio Homem e pare para admirar mais uma bela cascata e tirar as fotos da praxe.

Siga até à fronteira e atravesse-a sem problemas. Siga a estrada, agora já no pais de nuestros hermanos e ao fim de mais 3 km encontrará ao seu lado esquerdo mais marcos milenares e um bom pedaço da antiga estrada Romana.

Siga novamente pela mesma estrada até chegar a "Torneros", primeira povoação Galega. Atravesse a ponte e vire à direita até chegar a uma espécie de piscina. Trata-se de uma nascente de água quente que se mistura com o rio. Aproveite para descontrair e passear. O regresso é feito pelo mesmo caminho.

As "Cascatas do Tahiti"

Este é um dos locais com paisagem mais bela do Gerês mas só lá chega ou a pé ou de mota ou com um todo terreno. Não perca uma visita a este local como pode comprovar pelas fotos anexas.

O caminho é feito pela estrada que liga "Vilar da Veiga" até "Ermida" por alcatrão como se fosse para a cascata do Rio Arado já descrito anteriormente. Após andar sensivelmente 5 km (esteja atento), vai encontrar um entroncamento à sua direita com uma placa florestal a indicar "Cabril". Vire à direita e siga por esse caminho mas com cuidado. Enfrentará algumas descidas bastantes acentuadas até chegar a uma ponte de madeira sobre o Rio Arado. Junto a ela tem indicação do PNPG. Estacione a viatura e prepare-se para uma descida alucinante a pé.

Opte primeiro por descer pelo lado direito da ponte e encontrará uns moinhos abandonados e algumas pequenas quedas de água que formam belas lagoas onde pode se refrescar. Se não tem vertigens continue e atravesse para a outra margem pelo tronco que encontrará mais abaixo, caso contrario volte à ponte e atravesse para a outra margem e desça pelo caminho meio escondido pelas giestas e silvas. Aviso que se vai cansar um bocado até chegar ao fundo mas vale bem o esforço.

 No fim encontrará uma lagoa rodeada de areia e poderá observar uma das mais belas e maiores cascatas do Gerês.

O caminho de regresso é o mesmo com mais um pouco de esforço.

Pitões das Júnias e Mosteiro de S. Maria das Júnias

É uma caminhada bastante cansativa e deve ser feita logo pela manha. Saindo das Caldas do Gerês rume em direcção à E.N.103 (que liga Braga a Chaves). Siga sempre até à Barragem da Venda Nova. Atravesse a Barragem e, no primeiro cruzamento vire à direita. Está na E.N.308. Passe ao lado da "Barragem da Paradela" e siga até "Covelães". Aí vire à esquerda seguindo as placas que o levarão até "Pitões das Júnias".

Pode levar o carro até junto do cemitério de "Pitões das Júnias" e estacione aí ou se tem um Todo Terreno pode levar mais abaixo até ao largo em terra batida.

Desça então pelo caminho à esquerda que o leva directamente ao Mosteiro. Vá apreciando o enquadramento da paisagem. Observe a Igreja e o cemitério abandonado. No caminho da entrada do cemitério vire à esquerda e vá até ao moinho, atravessando a ponte.

A partir daqui tem duas opções mas antes disso olhe para o relógio. O passo seguinte tem tanto de belo como de cansativo. Se tiver na hora do almoço ou perto dela, recomponha primeiro o estômago e só depois avance para a caminhada seguinte. São algumas horas a caminhar no duro.

Partindo do largo de terra batida, siga pelo caminho da direita que vai ter a um rego (levada de agua) e siga sempre por esse caminho rodeado de de carvalhos. Vá descendo até encontrar um género de miradouro onde pode observar ao fundo a enorme queda de água.

Continuando para baixo por entre os trilhos estreitos ai existentes chega ao rio e ao local onde se precipita toda aquela agua. Observe a altura da mesma e impressione-se.

 

O caminho de regresso é o mesmo.

Ponte da Misarela

Esta famosa ponte está coberta por uma lenda. Quando uma mulher perde os filhos que gera, deve socorrer-se do sobrenatural. No fim da gravidez, à meia noite, devia aproximar-se da ponte e aguardar pela primeira pessoa que por lá passa-se do novo dia e pedir-lhe que baptiza-se com a agua do rio o futuro filho para, assim, nascer perfeito e de boa saúde. Se fosse menino chamar-se-ia Gervásio, se fosse menina chamar-se-ia Senhorinha.

Seguindo a estrada E.N.103, direcção Chaves e depois de "Ruivães", irá encontrar um entroncamento à esquerda com semáforos e que atravessa a "Barragem da Vila Nova".

Vire aí à esquerda e atravesse a Barragem seguindo na direcção de "Ferral". Chegando a "Ferral", vire à esquerda na direcção de "Central de Vila Nova" (aproveitamento hidroeléctrico). Siga sempre por essa estrada por alguns quilómetros sempre a descer até "Sidros" e encontrar uns enormes carvalhos à esquerda depois de uma curva à direita mais acentuada. Mesmo ao lado desses carvalhos encontra um caminho de paralelos à esquerda e sinalização em placa de madeira informando da Ponte. Siga por ele até encontrar os miradouros, já em estrada de terra batida, e delicie o olhar sobre a mesma ou então aventure-se a pé até ela.

O regresso pode ser feito pelo mesmo caminho ou então continue a descer a estrada de alcatrão até à Central (aproveitamento hidroeléctrico), atravesse a ponte e siga sempre junto à lagoa direcção "Cabril".Um pouco antes de "Cabril" encontra uma nova ponte estreita acompanhada de um Restaurante. Vire à esquerda e atravesse-a seguindo subindo a encosta  e seguindo as indicações até a Barragem de Salamonde. Atravesse-a e siga até apanhar novamente a E.N. 103.

 

Mapa da Serra do Gerês

Para uma melhor e mais fácil orientação pelas terras do Gerês e, porque ao fim-de-semana os Postos de Turismo encontram-se encerrados, aqui vai o endereço onde pode fazer o download do "Mapa das Terras de Bouro" e imprimir na sua impressora:

       www.rtam.pt

 

 

Voltar à Página Inicial