Piano - O Piano é um instrumento musical de cordas, possui um teclado e uma grande caixa de ressonância.

O seu som é produzido pela pressão das teclas que movimentam martelos de madeira revestidos de feltro que fazem oscilar as cordas.

É dotado de dois pedais:

O direito, que quando pressionado, permite que as cordas continuem a vibrar, mesmo que as teclas deixem de ser pressionadas;

O esquerdo, também chamado surdina, serve para diminuir o brilho da sonoridade.

O primeiro piano foi fabricado pelo italiano Bartolomeu Cristofori.

Apesar deste instrumento ter sido inventado por um italiano, foram os alemães que, com empenho, levaram esta ideia avante.

No século XIX o piano passou por diversos melhoramentos. O número de notas foi aumentado, as cordas ficaram mais longas e grossas e os martelos, antes cobertos por couro, passaram a ser revestidos de feltro, melhorando a sonoridade.

Certos compositores românticos passaram a explorar todos os recursos do piano. Quase todos os compositores românticos escreveram para o piano, mas os mais importantes foram: Schubert, Mendelssohn, Chopin, Schumann, Liszt e Brahms.

As mudança sociais ocorridas no fim do século XVIII para os primeiros anos do século XIX, e, com o aparecimento da classe média (surgida da expansão do capitalismo), determinou um novo conceito no tamanho das residências, agora menores, em comparação com as casas da nobreza. Esta situação favoreceu à criação do piano vertical, por volta de 1800, cuja principal vantagem era ocupar menos espaço e ser um instrumento mais barato que os pianos horizontais fabricados até então. Logo tornou-se popular e foi um móvel comum na maioria das salas de visitas das casas do século XIX.

Por volta de 1880, as principais etapas na evolução do piano já tinham sido vencidas. Os fabricantes, agora, incorporavam naturalmente em seus instrumentos as ideias e as melhorias introduzidas durante a primeira metade do século XIX e o período que se seguiu foi apenas de aprimoramento e aperfeiçoamento de determinados detalhes.

 

Bateria - Tocar bateria mal é fácil, tocar bem é que é difícil. Um desafio para tomar a decisão de estudar parte de si mesmo.

A bateria teve a sua origem já muito na antiguidade, o “Tambor”.

O tambor é o termo genérico de uma grande variedade de instrumentos musicais que consistem numa pele esticada sobre um vaso ou uma armação oca, e produz som quando percutido. Esse som é produzido pela vibração da membrana(pele), classificando-o assim como membranofone, dentro de uma larga categoria de instrumentos de percussão.

Os tambores começaram a aparecer pelas escavações arqueológicas do período Neolítico. Um tambor encontrado numa escavação da Moravia, foi datado de 6000 anos antes de Cristo.

Os tambores sempre tiveram uma função extra musical, como a de transmitir mensagens à distância e outras.

Ainda hoje, em algumas sociedades a confecção de um tambor continua a envolver um certo ritual.

A bateria(conjuntos de tambores), popularizou-se no século XX com as orquestras, as bandas militares, com a dança popular e os grupos de Jazz e Rock mais recentes.

Tudo começou em 1900. As bandas e orquestras tinham de dois a três percussionistas.

Um tocava bumbo, outro tocava caixa e o outro tocava os pratos. Todas essas pessoas se tornaram desnecessárias depois da invenção do pedal de bumbo.

Nota: Para se tocar bateria é necessário criar o seu próprio método.

O professor só ajuda e ensina, o aluno é quem tira as conclusões. Aprenda as coisas até o ultimo detalhe, não deixe nada ficar para traz ou em dúvida.

 

Guitarra - Na linguagem comum é por vezes designada viola ou violão, no entanto é mais correcto chamar-lhe guitarra clássica, ou simplesmente guitarra.

Inserida no grupo dos Cordofones dispõe de seis cordas, presas no próprio tampo através de uma espécie de cavalete baixo.

As três mais agudas são em nylon ou tripa e as três mais graves são metálicas (nylon com fileira de cobre ou cobre prateado).

A guitarra é hoje um instrumento extremamente difundido e popular; isto deve-se ao facto de se tratar de um instrumento muito portátil e robusto, de construção relativamente simples (logo económico),

Pensa-se que a guitarra possa ter a sua origem em alaúdes do antigo Egipto, por terem sido encontrados em escavações instrumentos de caixa de ressonância cintada com um braço longo e estreito e vestígios da existência de três ou quatro cordas e alguns trastos.

Subsistem muitas dúvidas no estudo da história da guitarra.

No fim deste século é adicionada a guitarra uma quinta corda, inovação atribuída a Vincente Espinel, de Madrid. Esta versão do instrumento passa a conhecer-se em toda a Europa por guitarra espanhola (designação ainda hoje utilizada) e é desde então considerada o instrumento nacional de Espanha.

No fim do séc. XVIII é adicionada uma sexta corda Mi1, e as cordas passam de duplas a simples. A sonoridade aumenta bastante, como resultado de grandes alterações no sistema de barras interiores.


Topo