Guppys Para Iniciantes (texto extraido do link alarcong.sites.uol.com.br)

-Doenças

Caso você dê aos seus Lebistes todas as condições para que eles vivam bem, raramente acontecerá problemas de doença em sua criação.
Os Lebistes são muito resistentes, mas como todo organismo vivo, está sujeito a várias doenças se alguma coisa errada estiver acontecendo no seu aquário, como quedas bruscas de temperatura, excesso de alimento, escassez de plantas, etc.
As doenças mais comuns são:
Íctio:
Pontos brancos que aparecem na pele do peixe. É parasitária, e só ataca quando a temperatura está muito baixa, ou quando o peixe esta muito debilitado, por isso a qualquer sinal de íctio, faça o seguinte: eleve a temperatura a 28°C e mantenha-a estável, aplique um anti-íctio de acordo com a bula e separe os peixes donentes em aquários individuais com a mesma água do aquário em que eles estavam.

Nadadeiras Roídas:
Devido a alta quantidade de melanomas e células cromatóforas na caudal e na dorsal destes peixes elas são mais propensas a instalações de bactéria nestes locais.
Isole o peixe em um aquário menor e aplique mercúrio-cromo direto
no local afetado, mantendo a temperatura alta (28ºC).
Fungos:
As doenças causadas por fungos são várias, e geralmente causadas por ferimentos na pele ou por deficiências vitamínicas que enfraquecem o visgo na pele. Geralmente os fungos formam tufos como algodão ou manchas brancas e para tratar aumente previamente a temperatura do tanque e aplique mercúrio-cromo no local afetado.
No mais, fique de olho no comportamento, nas cores ou no formato do peixe; cuide bem também da alimentação do peixe e sua criação estará livre de certos inconvenientes.
Estou tentando descobrir quais espécies podem ser colocadas com lebistes.Mas eu não recomendo coloca-los com tricogaster e nem com peixe espada.Estou achando que podem ser colocados com colisas lalias.Se você desejar coloque-os com neon,mas colocando com eles as caudas dos lebistes nunca ficarão perfeitas.
Guppy - Lebistes reticulatus
Origem - Norte da América do Sul
Comprimento - Macho 3 cm e fêmea 6 cm.
Água - Limpa e ligeiramente alcalina; 21-30º C
Diformismo Sexual - Macho mais colorido, de menor tamanho e com gonopódio.
Coloração - As espécies selvagens são castanhas acinzentadas. As variedades seleccionadas têm as mais variadas cores e formas de barbatanas.
É indiscutivelmente o peixe mais popular na aquariofilia. E tem boas razões para isso: é resistente, pequeno, pacífico. colorido e de reprodução mais que fácil. Bastantes aquariófilos dedicam-se totalmente aos Guppys, desenvolvendo variedades com as mais diversas colorações e formas de barbatanas (lira, véu, espada, etc.). Reproduz-se pelo menos uma vez por mês.

A hereditariedade do Guppy

O "segredo" para criação científica de animais e peixes reside nos princípios a hereditariedade estabelecidos por Gregor Mendel há mais de 100 anos. Apesar de Mendel ter baseado suas afirmações em estudos sobre ervilhas, este mesmo princípios podem ser aplicados para plantas e animais.
Um dos melhores exemplos da aplicação deste princípio é a transmissão hereditária da coloração dourada do Guppy.
Quando um Guppy dourado macho acasala com uma fêmea comum cinza ou quando um Guppy dourado fêmea é acasalada por um macho comum cinza, somente são gerados filhos e filhas comuns e ambos cinza.
A representação gráfica abaixo, estuda o método para a previsão dos resultados de cruzamentos entre casais que diferem em um aspecto hereditário como a coloração dourada.
Fêmea Douradagg Macho ComumGG
Vamos estabelecer a fêmea dourada como dois g minúsculos porque o dourado, como se verá, é recessivo em relação ao cinza.
Vamos estabelecer o macho cinzento com dois G maiúsculos porque o cinza é dominante em relação ao dourado.
Logo, na primeira geração (F1) será:
Filhas CinzentasGg Filhos CinzentosGg
Observe-se que a constituição da prole cinzenta, tanto filhos como filhas, da primeira geração é Gg o que significa que eles possuem fator hereditário ou gene, sendo um recessivo (g) e um dominante (G).
Apesar do fato de ambos serem Gg, eles parecem ser GG, isto é, ambos são cinzas. Isto acontece porque o G é dominante em relação ao g.
Na realidade, isto significa em termos genéticos que o cinza é dominante em relação ao dourado, conforme já falamos acima.
Quando dois Guppies cinzentos da primeira geração (F1) criados como irmão e irmã, Gg x Gg, as recombinações conseqüentes de suas várias possibilidades hereditárias resultam em:
1. Os ovos ou óvulos produzidos pela irmã (F1) Gg terão um ou outro gene de cor : uma unidade hereditária G ou g.
2. Os espermatozóides produzidos pelo irmão (F1) também terá G ou g.
Como os genes G e g se combinarão para produzir os tipos de cores na segunda geração podem ser expressos no gráfico abaixo:

Ovo de (F1)G Fêmea CinzentaG
Esperma de Macho cinzento (F1) G 1 - GGCinza 3 - GgCinza
g 2 - GgCinza 4 - ggDourado

Visto que os itens 1, 2 e 3 são GG, Gg e Gg e são cinzentos, isto significa três Guppies cinzentos na (F2) ; o item 4 (gg) representa um dourado.
Deste modo, a proporção hereditária típica de 3 cinzentos para 1 dourado é demonstrada entre os membros da segunda geração.
Se alguém pudesse remover as centenas de minúsculos melanóforos habitualmente presentes em uma fêmea cinzenta selvagem ou mesmo se alguém pudesse, por algum processo químico, reduzir o número de grânulos de pigmentos pretos radicalmente, este alguém teria criado uma variedade de dourados.
No entanto, desconhecemos qualquer processo químico capaz de fazer tal proeza sem matar o Guppy e nem evitar o risco de uma alteração hereditária ou mutação.
O Guppy Dourado (g) mutante teve reduzido o número de melanóforos em mais ou menos 50%. Quando o número de células de pigmentação preta na pele do Guppy for reduzida à metade, as células de pigmentação amarela, que sempre estiveram lá, ficarão à mostra.
Curiosamente, os melanóforos que permanecem no Guppy dourado são ligeiramente maiores do que o tipo normal, mas sendo relativamente poucos. Eles são incapazes de esconder a coloração amarela subjacente.
A cor amarela no Guppy dourado é tornada possível pela presença de muitas células amarelas que contêm uma substância semelhante à Xantina.
Quando os geneticistas de uma determinada universidade americana cruzaram um tipo selvagem de Guppy com um dourado, eles obtiveram uma prole de 257 na primeira geração, sendo todos eles cinzentos como seu pai selvagem. Aí, eles cruzaram irmão com irmã, conseguindo 230 cinzentos e 74 dourados na segunda geração.
Os resultados acima convenceram os especialistas de que o Guppy dourado é recessivo simples Mendeliano.
Para a "prova dos nove" vamos fazer alguns cálculos: se somarmos os peixes obtidos na segunda geração temos : 230 + 74 = 304.
Admitindo-se que a proporção ideal de 3 para 1 deveria ser alcançada na população da segunda geração, então, na base de 304 indivíduos deveria haver 228 cinzentos e 76 dourados. Se compararmos com o número esperado teoricamente de cinzentos e dourados (228 contra 76) os resultados obtidos (230 contra 74) são bastante próximos.
Se o colega criador ainda não fez a experiência com o Guppy dourado, já pode fazê-lo e prever o resultado.
O que você precisa para iniciar sua criação
Este artigo tem como objetivo mostrar ao iniciante o que ele precisará para começar sua criação. Os cuidados básicos descritos visam uma criação de caráter mais sério, com vistas ao aprimoramento de linhagens.
Matrizes
Procure sempre adquirir suas matrizes de linhagem pura. Este cuidado evitará perda de tempo no desenvolvimento de linhagens de má qualidade.
Começe sua criação com poucos peixes. Duas linhagens é o ideal .
Adquira sempre no mínimo 2 trios de cada linhagem para que você consiga efetuar o line breeding.
Aquários
Para você criar uma linha, é necessário que se tenha no mínimo 7 aquários.
A figura abaixo ilustra o esquema de criação, caso o criador adquira por exemplo 1 trio de matrizes (1 macho e duas fêmeas):

Os aquários utilizados para as matrizes poderão ser em torno de 15 litros.
Para aquários maternidade, utilize aquários de 25 litros. Estes aquários serão utilizados para a fêmea dar a luz e manter os filhotes até a idade de 30 dias.
Após os 30 dias, devemos separar os filhotes em dois grupos, machos e fêmeas e colocá-los em seus respectivos aquários. Estes devem ser de 40 litros ou mais.
Não super-povoe seus aquários.

Filtros

O filtro a ser utilizado é o interno.
Você poderá utilizar a marca Brasil número 2.
O filtro deverá ter uma camada no fundo de dolomita branca para servir de lastro e manter o filtro no fundo e ajudar a alcalinizar a água. Em cima da dolomita, coloque uma camada de lã perlon. Se não houver lã perlon disponível, uma alternativa seria espuma de cor branca densidade 20.

Aeração
Para um número pequeno de aquários, utilize compressores pequenos, vendidos em lojas de produtos para aquários.
Se o número de aquários for aumentando, pode ser interessante ter um compressor maior ou uma turbina e montar o sistema de distribuição de ar para os aquários com tubulação de PVC.


Alimentação
A alimentação básica do guppy consiste em comida seca (ração em flocos) e naúplios de artêmia.
Dê preferência a rações de primeira linha. Verifique se a quantidade de proteínas contida no alimento não seja inferior a 45%.
É importante oferecer naúplios de artêmia aos peixes, principalmente aos filhotes nos primeiros 4 meses de vida. Dificilmente você consiguirá êxito na criação sem a utilização deste alimento.
Alimente seus peixes 4 vezes ao dia. Exemplo 7, 12, 18 e 20 horas.
Varie a alimentação.
De os naúplios de artêmia de 20 a 30 minutos após ter oferecido ração.


Aquecimento


Como no caso dos compressores de ar, quando se tem um número pequeno de aquários, pode-se utilizar termostatos individuais. O termostato de marca Visi-Term é uma excelente opção embora seu preço seja um pouco alto.
Quando o número de aquários começa a crescer muito, aquecer o ambiente onde eles se encontram é mais vantajoso.


Considerações Finais
Além dos itens mencionados acima, você necessitará de material básico para o manejo diário.
Mangueiras para montagem dos filtros, mangueiras para sifonagem e trocas de água, redes para manipulação dos peixes e etc.
É sempre bom ter aquários auxiliares ou vazilhames onde se possa colocar provisóriamente os peixes caso haja necessidade de retira-lós do aquário.
Outro item também importante é o local de colocação dos aquários.
Procure utilizar estantes ou prateleiras de material resistênte a água. Evite as estantes de "aço" encontradas em loja de material para escritório. Com o tempo ela e dão um aspecto muito feio a sala de criação.
Eu estou fazendo experiências com prateleiras montadas com suportes especiais que suportam peso de até 280 quilos. Ficaram muito resistêntes e são bastante discretas. A vantagem de se utilizar prateleira é que você fica com espaço livre entre a primeira prateleira e o chão, podendo colocar por exemplo, reservatórios para descançar a água logo abaixo das prateleiras (dependendo da altura que será colocada a primeira prateleira. As minhas foram instaladas com a altura mínima de 95 cm do chão).
Espero que as informações acima sejam úteis.
Se você precisar de maiores detalhes a respeito de algum dos itens acima, entre em contato e eu terei o maior prazer em esclarecer suas dúvidas
Tirado de Guppy Santos Brasil
Atualmente fica difícil de localizar exatamente o hábitat originário do LEBISTE, mas todos os autores concordam que seria no norte da América do Sul, abrangendo as Ilhas de Trinidad, Tobago e Barbados, Venezuela, Suriname, as Guianas e norte do Brasil.
Depois de mais de um século de glórias nos mais diversos campos de estudos, o guppy já foi espalhado por praticamente todos os continentes do globo e invariavelmente nas suas mais belas formas selváticas.
Aqui no Brasil, o LEBISTE já existia no norte do país, porém foi disseminado por todo o território, pelo extinto Serviço Nacional de Educação Sanitária do Ministério da Saúde, para combater as larvas de mosquitos transmissores da malária e febre amarela(1930).
Segundo o trabalho do sanitarista Dr. Abelardo Marinho, o larvófago deveria ser pequeno, para que o guppy fizesse um trabalho bem sucedido.
Devido a sua extrema adaptabilidade, o Lebiste é encontrado nos mais diversos lugares: nas nascentes límpidas do rio Tiête, em Salesópolis, bem como no seu percurso, quando já entra no extremo leste da cidade de São Paulo, onde o rio é quase morto. Eles existem em grandes quantidades na orla marítima, isso pode ser observado nos municípios de Santos e São Vicente.
Adaptação de novos peixes
Devemos observar alguns cuidados básicos referentes a adaptação de novos peixes em nossos
aquários. Abaixo, está um roteiro para uma adaptação segura dos peixes em seu novo habitat,
minimizando o risco de choque.
Sempre que recebo novos peixes em minha criação, sigo exatamente os procedimentos descritos
abaixo, tendo sucesso total na adaptação dos peixes evitando assim a mortalidade dos mesmos.
Preparação
Ao receber os peixes, abra a embalagem com cuidado e verifique se todos estão vivos.
Caso algum peixe esteja morto, não abra o saquinho onde ele se encontra, pois na maioria das
vezes os criadores garantem a sobrevivência dos peixes enquanto a embalagem não for aberta.
Comunique o ocorrido imediatamente ao criador que forneceu os peixes, e ele o orientará sobre
o que fazer.
Estando todos os peixes em perfeito estado (vivos), começe o processo de adaptação.
Passo 1
Abra as embalagens (saquinhos com os peixes) e despeje a água junto com os peixes em um
recipiente; potes de sorvete de 2 litros são muito apropriados . Se você comprou por exemplo,
2 trios, um H/B AOC e outro Gold Red, coloque o trio H/B AOC em um dos recipientes e o trio
Gold Red em outro recipiente. Deixe os peixes descansando por cerca de 1 hora.
Passo 2
Após completar o período de descanso, deve-se retirar água do aquário onde irão ficar os novos
peixes, e ir completando a água do recipiente de descanso como descrito no passo 1, até que
quantidade de água contida no recipiente dobre. Este processo deverá ser feito em 1 hora.
A colocação da nova água no recipiente, deve ser feita em espaços de tempo regulares, por
exemplo, 20 % do volume total da água a ser colocada no recipiente em invervalos de 12 minutos.
Este processo é importante pois os peixes se adaptarão com as novas características químicas da
água, de modo progressivo, eliminando assim o risco de choque devido a mudança de PH/DH e
temperatura.
É importante também verificar se a temperatura da nova água é equivalente a temperatura da água
do recipiente de descanso.
Outro dado importante: sempre que pretendermos adquirir novos peixes, devemos preparar um
áquario com antecedência. Assim a água estará descansada e livre de cloro.
Passo 3
Após você dobrar a quantidade de água do recipiente onde estão os peixes, jogue fora metade
da água contida no recepiente e repita os precedimentos do passo 2 novamente.
Passo 4
Concluídos os passos 1 e 2, os peixes estarão prontos para serem transportados para sua nova
morada.
Após a colocação dos peixes no aquário definitivo, é normal observarmos os peixes um tanto
amoados, parados em um canto do aquário.
Eles ficam um pouco assustados por causa da mudança de ambiente. Este comportamento
deverá permanecer por alguns dias.
A alimentação é um item importante na adaptação, pois neste período é normal que os peixes
recusem comida seca (ração), ficando assim debilitados, sucetíveis a doenças.
Portanto, devemos oferecer-lhes alimento vivo (artêmias) e ir inserindo a ração aos poucos
para que eles se acostumem.
Eu particularmente não faço todos os passos,não tenho paciência.E no tempo de mais ou menos 2 dias eles estarão perfeitos no aquário.Sempre que for fazer criação de lebistes,tenha um aquário de bom tamanho(dependendo do tamanho,limite a quantidade de lebistes) e possua bomba,aquecedor,termômetro,plantas no aquário,filtros e pedras no fundo(não é qualquer pedra q eu se acha no meio da rua!)
O sistema de reprodução do Guppy
Achamos bastante interessante conhecermos, um pouco mais, sobre este peixe que tanto prazer proporciona em cria-lo.
Os órgãos sexuais do macho ( gonopódio ) e da fêmea ( cloaca ) são bem definidos e fácies de serem vistos, ainda mais quando entram em "ação" .
O gonopódio do macho é a modificação da nadadeira anal a qual se torna mais alongada, é formada por nove raios da nadadeira original , tendo uma borla com uma farpa para trás na extremidade do terceiro raio.
O gonopódio se localiza à frente do orifício urogenital e também à frente deste orifício existem duas nadadeiras pélvicas. A este conjunto forma um tubo através da qual os elementos fertilizantes são transmitidos à fêmea.
Este tubo não é oco como muita gente pensa. Os espermatozóides manten-se em grupos fechados no interior de globo denominado espermatófaro.
A ação de transferência do esperma para fêmea é tão rápida que o olho humano é incapaz de acompanha-la. Os espermatófaros são lançados no orifício genital da fêmea e assim que se encontra no interior , desloca-se para o oviduto.
A formação dos óvulos no organismo da fêmea é semelhante a do esperma: parte das células primitiva se divide e, depois da segunda divisão são formados os óvulos. O número de óvulos formados constituem o fator decisivo quanto ao número de filhotes a nascer.
O esperma fica situado no ovário da fêmea onde espera pelo aparecimento do primeiro grupo de óvulos. O grupo seguinte de óvulos não amadurecerá enquanto o primeiro não tiver abandonado o oviduto sob forma de ovos eclodidos e que, ao serem lançados fora da fêmea, se transformarão, em fração de segundo em um alevino vivo.
Uma vez ocorrido o primeiro nascimento um novo grupo é liberado, fecundando, e inicia, então, um novo processo de maturação.
Estudos e pesquisas mostraram que o esperma de um macho é capaz de fecundar óvulos da fêmea por oito messes após a primeira fecundação pelo macho.
Muitas vezes adquirimos um casal de Guppies e, por acaso, o macho morre. Se ele tiver fecundado a fêmea quer dizer que ela produzirá alevinos durante oito meses seguidos. Caso, porém, se queira interromper este processo, basta colocar outro macho em contato com a fêmea que estiver prestes a dar a luz. Se o macho fecunda-la até o quinto dia prevalecerá o novo esperma.
O período de gestação da fêmea é entre 22 e 28 dias de acordo com a temperatura, Quanto mais calor menos é o tempo de gestação e quanto mais frio maior é a gestação.
 

 

Se tiver algum artigo que queira partilhar envie pelo email seguinte: