Tripulação Mensagem n.º 14  Home Up Mensagem n.º 15

DIVULGAÇÃO

 

 

 

 

 

Caixa de texto: MENSAGEM
Nº 14

 ESPÍRITO

 (continuação)

“Assim sendo, as forças vivas da mente estão sempre construindo, recompondo, perturbando ou bombardeando os campos organogenéticos responsáveis pela geratriz dos caracteres físicos e psicológicos, bem como sobre os núcleos celulares de onde procedem os órgãos e a preservação das formas.

Quanto mais consciente o ser, mais saudáveis os seus equipamentos para o desempenho das relevantes tarefas que lhe estão reservadas. Há excepções, no entanto, que decorrem de livre opção pessoal, com finalidades específicas nas paisagens da sua evolução.

O pensamento salutar e edificante flui pela corrente sanguínea como tônus revigorante das células, passando por todas elas e mantendo-as em harmonia no ritmo das finalidades que lhe dizem respeito. O oposto também ocorre, realizando o mesmo percurso, perturbando o equilíbrio e a sua destinação.

Quando a mente elabora conflitos, ressentimentos, ódios que se prolongam, os dardos reagentes, disparados, desatrelam as células dos seus automatismos, que degeneram, dando origem a tumores de vários tipos, especialmente cancerígenos, em razão da carga mortífera de energia que as agride.

Outras vezes, os anseios insatisfeitos dos sentimentos convergem como forças destruidoras para chamar a atenção nas pessoas que preferem inspirar compaixão, esfacelando a organização celular e a respectiva mitose, facultando o surgimento de focos infecciosos resistentes a toda terapêutica, por permanecer o centro desencadeador do processo vibrando negativamente contra a saúde.

Vinganças disfarçadas voltam-se contra o organismo físico e mental daquele que as acalenta, produzindo úlceras cruéis e distonias emocionais perniciosas, que empurram o ser para estados desoladores, nos quais se refugia inconscientemente satisfeito, embora os protestos externos de perseguir sem êxito o bem-estar, o equilíbrio.

O intercâmbio de correntes vibratórias (mente-corpo, perispírito-emoções, pensamentos-matéria) é ininterrupto, atendendo aos imperativos da vontade, que os direcciona conforme seus conflitos ou aspirações.

Ideias não digeridas ressurgem em processos enfermiços como mecanismos autopurificadores; angústias cultivadas ressumam como destonais nervosas, enxaquecas, desfalecimentos, camuflando a necessidade de valorização e fuga do interesse do perdão; dispepsias, indigestões, hepatites originam-se no aconchego do ódio, da inveja, da competição malsã — geradora de ansiedade — do medo, por efeito dos mórbidos conteúdos que agridem o sistema digestivo, alterando-lhe o funcionamento.

O desamor pessoal, os complexos de inferioridade, as mágoas sustentadas pela autopiedade, as contrariedades que resultam dos temperamentos fortes, são fontes de constantes atritos com o organismo, resultando em canceres de mama (femininos), da próstata, taquicardias,  disfunções coronarianas, cardíacas, enfartes brutais

Impetuosidade, violência, queixas sistemáticas, desejos insaciáveis, respondem por derrames cerebrais, estados neuróticos, psicoses de perseguição...

O homem é o que acalenta no íntimo. Sua vida mental expressa-se na organização emocional e física, dando surgimento aos estados de equilíbrio como de desarmonia pelos quais se movimenta.

A conscientização da responsabilidade imprime-lhe destino feliz, pelo facto de poder compreender a transitoriedade do percurso carnal, com os olhos fitos na imortalidade de onde procede, em que se encontra e para a qual ruma. Ninguém jamais sai da vida.

Adequando-se à saúde e à harmonia, o pensamento, a mente, o corpo, o perispírito, a matéria e as emoções receberão as cargas vibratórias benfazejas, favorecendo-se com a disposição para os empreendimentos idealistas, libertários e grandiosos, que podem ser conseguidos na Terra graças às dádivas da reencarnação.

Assim, portanto, cada um é o que lhe apraz e pelo que se esforça, não sendo facultado a ninguém o direito de queixa, face ao princípio de que todos os indivíduos dispõem dos mesmos recursos, das mesmas oportunidades, que empregam, segundo seu livre-arbítrio, naquilo que realmente lhe interessa e de onde retiram os proventos para sua própria sustentação.

Jesus referiu-se ao facto, sintetizando, magistralmente, a Sua receita de felicidade, no seguinte pensamento: — A cada um será dado segundo as suas obras.

Assim, portanto, como se semeie, da mesma forma se colherá.”[1]

 

*********************

 

ANÁLISE A DEPOIMENTOS SOBRE “COMO É QUE OCUPAS OS TEUS TEMPOS LIVRES”

 

Tempos livres

 

Considerando os tempos livres com reflexo do seu estado de espírito, serão um meio importante para a justificação de certos comportamentos tomados pelos inquiridos.

Referimos como uma boa ocupação dos tempos livres, na nossa opinião, a leitura, o convívio, a meditação, os filmes, e todo o género de actividades baseado numa atitude construtiva e edificante, segundo os valores ético-morais, reflectindo a alegria de viver.

Numa 1ª análise, estes factos podem não apresentar um carácter relevante. No entanto, numa segunda análise, podem ser uma boa fonte para uma justificação para certos actos.

É de salientar, que em geral, os inquiridos gostam de estar com os amigos.

Num conselho de Jesus, que nos diz para orarmos e vigiarmos, podemos reflectir na necessidade de que, os tempos livres não sejam um desligar das nossas responsabilidades mas uma oportunidade de relaxamento consciente.

O orar é mantermo-nos ligados às influências positivas (espiritualidade do bem) mantendo-nos despertos para o perigo das influências negativas, sendo fonte segura no processo de vigiar as nossas tentações, ajudando-nos a escolher as melhores opções (em relação à: leitura, música, companhia, local de divertimento, etc.)

Como o hábito faz o monge, disciplinando-te no bem, vais proporcionar-te bases seguras de evolução, influenciando os que te rodeiam no mesmo sentido. Não deixando de te divertires, mas, agora com o gozo da alegria de saberes que a vida tem sentido e que o amar uns aos outros, até o próprio inimigo tem sentido lógico e justo.

 

Razões fortes para apostar num tipo de trabalho como o projecto Raio de Luz

Quadro – 15

 

Opções referidas no inquérito

N.º de Jovens

Sair com os amigos

41

Ler

27

Ouvir música

27

Desporto

25

Ver TV

16

Computador/Internet

9

Cinema

9

Escrever

7

Estudar

4

Família

4

Trabalhar com os Pais

3

Pintar /desenhar

3

Namorar

3

Bordar

3

Cães

2

Descansar

2

Dormir

2

Pensar na vida

1

Sonhar

1

Dançar

1

Teatro

1

Passar o tempo com crianças

1

 

 

 

Mensagens

 

Para concluir o inquérito demos aos jovens um tema para comentar "o que acho do Espiritismo" e um espaço onde eles pudessem deixar a sua mensagem.

Como tal, o grupo decidiu apresentar apenas os comentários e as mensagens, tal como foram redigidas.

 

Quadro – 16

 

Sim

Não

4- Já ouviste falar no Espiritismo (Allan Kardec)?

28 – 48,7%

24 – 40%

 

 

 

 

 

Os depoimentos sobre “Espiritismo o que acho”

 

2

O espiritismo é um dogma muito grande, do qual não me pronuncio, porque não me consigo definir em relação a esse assunto.

 

 

3

Ainda não tenho uma posição muito definida sobre o assunto. Mas daquilo que li sobre Allan Kardec e o modo como ele encarava o espiritismo acho que tem algumas ideias bastante interessantes.

 

 

4

Não tenho uma ideia bem definida acerca do assunto, porque estou um pouco confusa com o assunto. Embora na alma e no espírito de uma pessoa, intriga-me que possam comunicar com quem está vivo, podendo até uma pessoa ficar possuída por um espírito que não o seu… Tenho certas dúvidas embora se ouçam várias histórias acerca disto.

 

 

7

Algo misterioso, um bocado confuso, mas com bastante significado que me faz pensar.

 

 

9

Penso ser algo muito complexo que nos leva à reflexão e a ficar um pouco com os pés fora da terra, é algo desconhecido o que desperta curiosidade e interesse.

 

 

11

Já ouvi falar no espiritismo, mas na verdade não sei o que realmente é.

 

 

12

Não acredito

 

 

13

É um estudo um pouco difícil de perceber, mas tem muita lógica.

 

 

14

Acho que necessito de mais informações porque apenas tive conhecimento dele em conversa com outra pessoa.

 

 

15

Já ouvi falar mas não estou muito informada nem consciente do assunto.

 

 

16

Algo que admiro mas não acredito.

 

 

19

Não tenho uma opinião completamente formada, pois o que ouvi não é suficiente, preciso de mais informação, quem sabe comprar alguns livros.

 

 

22

Já li extractos de "O Livro dos Espíritos", e não concordo com a maioria das concepções que Allan Kardec defende.

 

 

23

Não sei o que é mas penso que seja uma ciência oculta.

 

 

24

Conheço o espiritismo à relativamente pouco tempo, desde já estou a gostar e pretendo continuar a aprender mais sobre esta doutrina.

 

 

27

Ouvi falar muito por alto, até tenho um livro de Allan Kardec, mas nunca o li inteiramente, acho que o espiritismo é uma forma de ver a vida neste mundo e no outro, se houver outro!

 

 

28

Não sei qual é a sua finalidade.

 

 

29

Acho que é uma forma de ajudar as pessoas que têm problemas.

 

 

30

Já vi um livro chamado o Espiritismo mas não me lembro do nome do autor. Apesar de ser um assunto que sempre me fascinou, nunca tive tempo para o ler.

 

 

31

Acredito, e gostaria de ter mais conhecimentos, e até vir a ser praticante do espiritismo.

 

 

32

Acho uma pessoa, que nos trouxe algumas alguns elementos importantes para podermos compreender algumas coisas.

 

 

36

Acho que é uma maneira de encarar a vida espiritual ou uma teoria para explicar fenómenos que não apresentam explicação e resposta objectiva, cientifica rigorosa e incontestável.

 

.

38

Não tenho nada contra, cada um acredita no que quer

 

 

39

Já ouvi falar mas não tenho opinião formada.

 

 

40

Nunca tinha ouvido falar em Allan Kardec, daí não poder “falar em Espiritismo”.

 

 

41

Acho que pode ser uma forma de explicarmos certas actos ou acções, que por vezes não sabemos como conduzi-las.

 

 

44

Não sei

 

 

45

É uma crença que muitos seguem.

 

 

46

É uma crença que está relacionada com espíritos.

 

 

47

Não tenho nenhuma ideia sobre espiritismo.

 

 

48

Penso que são coisas que nada me dizem, tornando-o mesmo ignorado e sem qualquer interesse em saber algo sobre o referido.

 

 

55

O ser humano não é só uma entidade física e biológica, possui uma identidade que constrói a sua personalidade própria, a sua maneira de ser, o seu espírito, a sua marca.

 

 

56

É uma maneira de ver as coisas de outra forma, pois acredito que a nossa vida terrena é só uma passagem onde nos aperfeiçoamos e melhoramos alguns dos defeitos que carregamos.

 

 

58

Acho quê uma doutrina que faz sentido, aliás de todas as que já ouvi é a que faz mais sentido. Se fosse independente talvez a levasse realmente a sério.

 

 

59

O Espiritismo "abriu-me" os olhos para a vida, respondeu-me a inúmeras questões que noutra religião não me deram, deu-me um objectivo a seguir durante a minha vida, aprender, evoluir.

 

 

60

Já ouvi falar mas vagamente. Não sei os princípios e as ideias que seguem, por tal não estou muito informada e não posso responder verdadeiramente.

 


 

[1] Xavier, Francisco Cândido – “Pensamento e Vida” pelo Espírito Emmanuel

 

 Grupo RAIO DE LUZ

 Mensagem n.º 14 Home Up Mensagem n.º 15