Tripulação Mensagem n.º 9  Home Up Mensagem n.º 10

DIVULGAÇÃO

 

 

 

 

 

Consciência (1)

 

Numa primeira análise o tema consciência foi subdividido em quatro grandes questões, as quais passamos desde já a analisar:

 

1ª Questão:

 

A intenção desta 1ª questão, é saber se o jovem tem consciência do bem e do mal, da consequência dos seus actos e da necessidade de leis e de disciplina:

 

Quadro-3

 

Sim

Não

II -  A CONSCIÊNCIA

1- Tens consciência do que está bem e do que está mal?

 

55 – 91,7%

 

0

2- Achas que cada um deve ser responsável pelos seus actos e sofrer as consequências dos seus maus actos e desvios da lei?

 

53 – 88,3

 

2 – 3,33%

3- Concordas que as leis e a disciplina são necessárias?

55 – 91,7%

0

 

O inquérito evidenciou que 90% dos inquiridos se dizem ser conscientes, nos aspectos referidos. Será isso uma realidade? É o que iremos constatar mais à frente.

 

2ª Questão:

 

Não poderíamos deixar passar ao lado, num inquérito em que é abordada a consciência, duas questões de relevo do nosso dia a dia, que são a pena de morte e o aborto.

 

Quadro - 4

 

Sim

Não

II -  A CONSCIÊNCIA

4- Concordas com a pena de morte?

 

17 – 28,3 %

 

42 – 70 %

E com o aborto?

30 – 50%

26 – 43,3 %

 

Como podemos constatar no quadro acima apresentado uma grande percentagem dos inquiridos é contra a pena de morte. Podemos daqui retirar que os jovens não vêem a morte como solução / punição para os actos considerados errados. Pensamos que mesmo assim ainda é preocupante encontrarmos um número tão elevado de concordantes com tal atrocidade. Perante estes factos, torna-se importante reflectir o verdadeiro significado da pena de morte e aquilo que ela envolve. Para que esta se concretize é necessário que um homicídio seja cometido.

Sendo o ser humano um ser que erra, como pode ele julgar alguém?

Se considerámos alarmante as respostas obtidas na questão da pena de morte ficámos ainda mais preocupados com os resultados obtidos numa questão tão badalada, como é o aborto. Estes resultados comprovam que as pessoas são egocêntricas, só pensam em si próprias, no seu bem estar  sem se questionarem acerca da importância da vida. Denotamos aqui que o aborto é consequência da falta de discernimento para assumir os seus próprios erros, sendo esta, para eles, a saída mais fácil.

 

Uma das formas de poder interpretar estes resultados é através da leitura e análise das justificações apresentadas pelos nossos inquiridos para a escolha que tomaram.

 

***

Porque Motivo

Pena de morte  / Aborto

***

Aborto, Não

4

Na minha opinião ninguém tem o devido direito de tirar a vida a ninguém. Ninguém é suficientemente perfeito de tal modo que possa punir de maneira tão cruel os erros dos outros.

 

 

8

Em relação, ao aborto, acho que ninguém tem o direito de tirar a vida a um ser que ainda nem sequer nasceu. Essa pessoa tem que assumir a sua responsabilidade.      

Concordo com a pena de morte, na medida em que uma pessoa que cometeu um erro deliberadamente um crime, tem que ser condenado.

 

 

9

A vida é o maior triunfo que temos e tendo consciência disso não faz sentido evitá-la.

 

 

13

Porque acho que não há direito de tirar a vida a outros.

 

 

20

Porque se penso que cada um deve ter consciência do que está bem e mal e deve ser responsável pelos seus actos então não concordo com o aborto.

 

 

23

Hoje em dia existem vários métodos contraceptivos para não engravidar. Vou contra o aborto porque o embrião por alguma coisa foi posta no mundo, ninguém tem direito de tirar a vida a este embrião.

 

 

24

Porque na minha opinião toda e qualquer pessoa tem o direito à vida e tal como eu acho que ninguém tem o direito de me tirar a minha, também eu do mesmo modo não terei o direito de tirar a dos outros.

 

 

26

Penso que não se deve fazer um aborto porque uma criança é gerada desde que o espermatozóide é envolvido pelo óvulo não é a partir dos 2 ou 3 meses que começa a se formar uma criança mas sim desde que se deu a fecundação.

 

 

29

Porque actualmente há muita informação e métodos contraceptivos.

 

 

31

Não temos o direito de tirar a vida a outro ser, somos todos iguais, todos temos os mesmos direitos.

 

 

34

 

 

 

39

A vida é um Dom de deus, não temos o direito a decidir por alguém que por tempos vive dentro de nós. Só Deus sabe e sabe bem o que faz.

 

 

40

È claro que a vida nem sempre é maravilhosa mas tem momentos bons, e todas as pessoas têm o direito á vida, sentir o que todos sentimos; ou seja; uma vida pode ser  pouco mas pode mudar muito o mundo.

 

 

43

    Com a pena de morte não porque acho que ninguém, tem o direito de tirar a vida a ninguém mesmo os assassinos, devem ser castigados de outra forma porque fizeram.

Eu sou contra o aborto, mas penso que deveria ser legalizado por que acho que o aborto sempre existirá mesmo ilegal assim pelo menos haveria condições.       

Por vezes pode existir um atropelamento pelo qual eu não tive culpa e ficar paralisada estou a sofrer com o corpo e não tive culpa. (Exemplo)

 

 

44

Porque tirara a vida de um recém-nascido, tira a alegria de muita gente.

 

 

45

Nós não temos o direito de tirar a vida a um ser inocente que não pediu para nascer.

 

 

46

Porque é uma vida inocente que se perde.

 

 

51

 

 

 

56

Porque é um ser inocente que vai morrer e ser poderia ser um de nós.

 

 

58

Se Deus deu vida só ele pode tirar

 

 

59

Na minha opinião, não se deve tirar a vida a um ser vivo, se este veio ao mundo, não é por acaso, tem o direito de viver e ninguém tem o direito de tirar uma vida.

 

Aborto, Não. (Será???)

3

Acho que a vida é algo que nenhum ser humano tem direito de tirar a vida a outro. Porém, embora tenha dito que não, estas são duas questões que não têm uma resposta tão simples como "sim" ou "não". Há casos e casos.

 

 

5

Apenas em situações extremas se devem praticar este tipo de comportamentos.

 

 

7

A vida foi dada por Deus, só ele sabe a hora em que devemos morrer, como soube a hora do nosso nascimento./ O aborto sou a favor em certas situações, em que já foram aprovadas por lei.

 

 

22

Somente concordo com o aborto, quando através dos exames médicos se detecte anomalias que possam causar deficiência para toda a vida. Caso contrário é matar um ser vivo. Quanto à pena de morte só deus tem o direito de nos tirar a vida, apesar de certas pessoas serem tão cruéis que mereçam a morte, penso que só Deus as deveria castigar com tal castigo.

 

 

55

De um modo geral não concordo com o aborto, concordo no entanto que em situações de risco de vida para a mãe e em casos de deficiência extrema do recém nascido, este possa e deva ser realizado.

 

Aborto, Sim

1

Cada pessoa deve projectar o seu modo de vida. Se um filho não vem a calhar acho que não vai ser bem concebido nem nunca o será. O aborto é conforme as situações depende e da experiência de passar ou não passar pela circunstância. Uma pessoa nunca deve afirmar sem passar primeiro pela experiência.

 

 

2

Em relação à pena de morte não concordo porque não se deve punir alguém tirando-lhe a vida; em relação ao aborto concordo se a pessoa não estiver em situação de poder dar uma vida saudável a esse bebé.

 

 

6

Quero frisar bem que só concordo com a pena de morte e aborto em casos extremos, tentando no entanto evitá-las o mais possível.

 

 

10

Sou de acordo com o aborto dependo das circunstâncias, tipo má formação do feto, etc.…

 

 

11

Concordo com o aborto em certos casos com violações e más formações no feto.

 

 

12

Quanto à 1ª perg. sou contra uma vez que apesar de considerar afirmativa a 2ª questão, penso que a morte não é o castigo mais viável para adoptar. A morte deve ser um acontecimento natural e não um acon. imposto. Quanto ao aborto penso que deve ser aplicado em situações ímpares como má formação do feto.

 

 

14

Concordo com o aborto desde que não tenha como razões os aspecto financeiros que uma criança implica.

 

 

15

Apesar de ninguém ter o direito de tirar a vida a outro, acho que no caso da pena de morte, as pessoas devem aceitar as consequências dos seus actos. No caso do aborto, apesar de, em algumas situações (deficiências), ser a favor, e outras (irresponsabilidade) ser contra, a balança tende para o sim.

 

 

16

Em relação à pena de morte, creio que sim, temos o direito a tirar a vida a quem tira a vida de outro alguém, não porque acho que merece sofrer quem faz sofrer, mas preferia explicar pessoalmente a quem estiver interessado.

 

 

17

Concordo com o aborto a partir do momento em que se tem a certeza que o bebé que irá nascer terá uma deficiência profunda.

 

 

19

Concordo com o aborto em caso de risco para o bebé, ou para a mãe. Este risco inclui, a miséria, a falta de atenção ou desinteresse.

 

 

21

Concordo com o aborto, porque a potencial criança, indesejada irá sofrer durante toda a sua vida.

 

 

25

Cada um deve ter o direito de fazer o que acha melhor, relativamente a si próprio.

 

 

28

Cada ser humano deve ter direito à sua opção de escolha sendo respeitado pelos outros.

 

 

30

No caso da pena de morte, caso um criminoso fosse morto, teria-mos de matar o outro e assim sucessivamente. Quanto ao aborto só em casos de violação, má formação do feto ou possível morte da mãe no nascimento da criança, apesar de neste caso e por matar a pessoa que o fizesse ser também imposta à pena de morte, mas…

 

 

32

Eu concordo com o aborto porque cada mulher tem o direito de escolher o que quer em relação a ter ou não ter o filho.

 

 

33

Como medida de controlo de natalidade - Não. Como medida de contracepção - Não. Como medida de evitar o mal menor - o aborto clandestino - Sim.

 

 

35

As pessoas têm que ter consciência do que fazem e como fazem, e por vezes é pior viver na angústia que morrer.

 

    Justificação da vida:

    “ A vida é um barro que tu podes moldar segundo os conselhos da tua razão ou as fantasias da tua imaginação.” Ou ambas.       Arsénne Lupin

   Aborto: Concordo dependendo das situações.

 

 

37

Dependendo das justificações... Em questões de vida ou morte da mãe (exemplo).

 

 

38

Concordo em determinadas condições. Para mim é preferível abortar do que abandonar uma criança no caixote do lixo. Não concordo se for por irresponsabilidade. Os erros são para assumir.

 

 

41

Em relação é pena de morte acho que todas as pessoas têm direito a uma Segunda chance, apesar dos erros cometidos. Quanto ao aborto se a criança vier ao mundo para sofrer maus tratos, desprezo e indiferença é por vezes preferível que não nasça.

 

 

42

O ser humano possui o Dom que é a inteligência, logo tem o dever de virar as costas a tudo o que é destruição.

 

 

47

Concordo com  a pena de morte só em casos extremos porque acho que há diversas atitudes como matar alguém ou violar que merecem essa atitude.

Também concordo com o aborto porque acho que vale mais “retirem” o embrião do útero da mãe enquanto pequeno do que um dia mais vir ser maltratado e rejeitado por tudo e por todos

 

 

48

 Concordo com o aborto, mas que seja feito antes das quatro semanas, em que a criança “embrião”, ainda não é um “ser”, e desta forma poderá ser eliminado.

49

Em relação ao aborto é necessário ponderar o porquê e a causa do mesmo

 

 

52

Concordo com a pena de morte, mas só em casos extremos, acho, que certos actos, por parte de algumas pessoas, não merecem perdão. Também concordo com o aborto mas só nos dois primeiros meses da gravidez.

 

 

53

Em casos em que se ponha em causa a vida da mãe ou então do feto, e sempre sobre observação médica especializada.

 

 

54

Porque mais vale corrigir um erro do que fazer sofrer racionalmente.

 

 

57

Eu concordo com a pena de morte, sei se houvesse havia menos actos de violência. E eu concordo com o aborto, é o caso de violação, e mais outros, etc.

 

 

60

Defendo que a mãe deverá decidir o que acha melhor para si, se tiver condições ou desejo de ter uma criança tê-la-á, no entanto se a não quiser, acho que é livre de escolher o seguimento da sua vida e decisão.

 

As principais razões apresentadas por aqueles que são a favor deste acto (aborto), são:

 

-  Direito de escolha por parte de cada ser humano;

-  Casos extremos:

-  de deficiência do feto;

-  violação;

-  Condições de vida dos progenitores (económicas, sociais);

-  Criança indesejada;

-  etc.;

 

Este tipo de respostas vem reforçar a ideia de egocentrismo, lançada anteriormente por nós. Os jovens procuram transmitir uma sensação de preocupação com as circunstâncias em que a criança virá ao mundo (deficiência), e ainda com o meio que irá envolver a mesma após o seu nascimento. Porém, acabam por demonstrar precisamente o contrário. Privilegiam a capacidade de poder escolher o melhor para os progenitores, seja no caso de uma criança imprevista e indesejada ou mesmo os encargos (económicos e físicos) que uma criança deficiente acarreta para os mesmos.

(Continua)

Grupo RAIO DE LUZ

 Mensagem n.º 9 Home Up Mensagem n.º 10