Tripulação Projecto Raio de Luz  Home inqueritos

DIVULGAÇÃO

 

 

 

 

 

 

PARTICIPA NO INQUÉRITO

Aconteceu!  

EXPRESSA O QUE TE VAI NA ALMA.

                 O renascer de um novo conceito de vida!

 Surgiram respostas ao “eu”, ao “outro” e ao “eu” com o “outro”. 

 

Nesta caminhada surgiu o testemunho de um amigo que nos alertou para uma nova filosofia de vida, que respondia a todos os porquês característicos da adolescência.

Outro factor importante é o facto dos nossos pais nos acompanharem de perto, formando-se assim também.

Todo este despertar para o Espiritismo, resultou de uma necessidade de um crescer neste ideal de uma forma conjunta, levando à realização do Evangelho no Lar.

Movidos pela necessidade de saber mais procurámos saber através da leitura, de palestras proferidas pelo Divaldo Franco, Raul Teixeira e pelo nosso presidente Arnaldo Costeira e por outro lado saber os “porquês” do dia a dia.

Animados pela melhoria da paz nos nossos lares e sentindo os efeitos do aprendizado de um forma positiva, ressoando em nós as palavras do Cristo “Ide e pregai”, materializou-se a ideia de começar a divulgação pelos Jovens.

Desta ideia nasce o projecto “Raio de Luz”. Projecto este, que já estava pré-concebido pelo amigo acima referido, vindo este a ser analisado em profundidade pelo grupo, onde sofreu as devidas alterações e em que o grupo o assumiu como seu Projecto.

 

À medida que vai progredindo a vossa leitura, vai provavelmente aumentando e despertando o vosso interesse em conhecer o resto do nosso trabalho. Conhecerão as várias etapas por que passámos, assim como os bons e maus momentos que fizeram parte do nosso dia a dia. 

FFF

 “Projecto Raio de Luz”

Ponto 1

- Análise à saúde dos jovens:

 

Saúde =Equilíbrio (Físico Psíquico + Económico-Afectivo)

a)

b)

c)

Influências da saúde física

Influências da saúde psíquica

Influências da saúde económico-afectiva

Ponto 2

- Tomar conhecimento da interligação da saúde.

Ponto 3

- Elaboração do "inquérito"

Ponto 4

- Elaborar uma pré-pesquisa a um número limitado de jovens (oito inquéritos), com a finalidade de adquirir sensibilidade para a análise das respostas e tratamento das mesmas.

Ponto 5

- Definir o número de jovens para o preenchimento dos inquéritos.

Ponto 6

- Estabelecer a faixa etária, área geográfica ocupacional. Adquirir procedimentos para a abordagem dos jovens.

Ponto 7

- Motivação dos jovens para o preenchimento dos inquéritos. Utilização de uma linguagem adequada para cada inquirido.

Ponto 8

- Execução do inquérito:

 

                   

a) Dar importância a situações de carácter urgente (tendências suicidas…) no primeiro contacto.                                                                          

b) Solicitações directas de ajuda do inquirido.

Ponto 9

- Tratamento do inquérito (avaliação).

Ponto 10

- Divulgação do inquérito: (Jornal Espírita/ Revista de Espiritismo e jovens inquiridos que solicitarem o trabalho).

 

Processo de Acompanhamento:

 

a) Programação do acompanhamento de situações importantes do primeiro contacto.

b) Programação de acompanhamento resultante do "Inquérito" a situações de carácter entendido como prioritário.

Ponto 11

- Reflexão do trabalho realizado, para fortalecer a continuidade das actividades do grupo.

 

  FFF

“Somos um grupo de jovens unidos no mesmo ideal, a nossa autoformação 

e na assistência aos jovens em geral.”

 Auto-formação 

O primeiro ponto do nosso projecto reflecte a necessidade de autoformação e como este é vocacionado para os jovens, a análise à saúde destes era primordial.

Para além da definição apresentada no nosso “projecto” subdividimos as várias áreas em temas que nelas se inserem:

 

A - Saúde 

1. Área Afectiva

1.1. Relacionamento Familiar

1.2. Relacionamento Escola / Trabalho

1.3. Relacionamento Tempos Livres

1.4. Relacionamento Social

1.5. Relacionamento Religioso

 

2. Área Psíquica

2.1. Estados Neuróticos

2.2. Estados Psicóticos

 

3. Área Física

3.1. Alimentação

3.2. Toxicodependência (Droga, Tabaco, Alcoolismo)

3.3. Cansaço

3.4. Poluição Sonora

3.5. Poluição Ambiental

3.6. SIDA

3.7. Aborto

3.8. Homossexualidade

3.9. Lesões ligeiras e graves

3.10. Suicídio

 Estes temas foram repartidos pelos vários elementos do grupo, ficando cada um deles encarregue de apresentar o seu trabalho, após uma investigação prévia, aos restantes elementos do mesmo, fazendo alusão a todas as áreas cientificas, o Espiritismo inclusivé. Após esta apresentação haveria um espaço de debate com o objectivo de reforçar a abordagem.

Como jovens que somos, por vezes, deixamo-nos levar pela preguiça, mas graças à ajuda espiritual, ao reforço do nosso Presidente da Associação, bem como as mensagens do nosso Presidente Honorário, Divaldo Pereira Franco, apesar de alguns atrasos, os pontos apresentados no projecto foram levados para a frente.

Como antídoto à preguiça aconselhamos a mensagem seguinte:

  FFF

Extracto 1

 "682. Sendo uma necessidade para todo aquele que trabalha, o repouso não é também uma lei da Natureza?

 "Sem dúvida. O repouso serve para a reparação das forças do corpo e também é necessário para dar um pouco mais de liberdade à inteligência, a fim de que se eleve acima da matéria." [1] 
Extracto  2

 Preguiça

  “Na sua primeira Epístola à Igreja de Corinto, no capítulo onze, versículo trinta, o Apóstolo Paulo informa: ". . . há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem"    Em seu zelo incomparável para com o Espírito, o Missionário das Gentes se refere àqueles que não sabem portar-se ante a evocação da Ceia do Senhor...

Todavia, em nos reportando aos que "dormem", sugerimos alguns comentários oportunos, em considerando as lides em que nos encontramos empenhados, tendo em vista a nossa redenção espiritual.

O homem inteligente, que descobre através do Espiritismo os objectivos essenciais da reencarnação, facilmente se liberta das superficialidades, aprofundando o interesse pessoal nas questões transcendentais, em que se renova e felicita.

Aproveita ao máximo os tesouros tempo e oportunidade, valorizando o conhecimento pela sua bem dirigida aplicação.

Não se deixa engolfar pelas seduções que o amesquinham nem entesoura paixões que o degradam.

Aprimora os sentimentos e cultiva a mente, a si mesmo permitindo somente os valores ponderáveis e expressivos para a auto-realização.

Procura viver com respeito pela vida, exercitando equilíbrio e sensatez.

Sabe que uma jornada longa, na carne, é uma honra e como aproveitá-la sabiamente é tarefa que lhe compete.

Por análise e dedução compreende que a desencarnação cedo, raras excepções, é punição que se aplicam antigos suicidas, cujos fluidos degenerescentes gastam a harmonia das células, produzindo desajustes incontroláveis, que os perturbam além-túmulo, pelos choques psíquicos que advêm do renascer e logo desencarnar. . .

Em verdade, na Terra, dorme-se em demasia.

Dorme-se por necessidade de refazimento orgânico, dorme-se por não se "ter o que fazer", dorme-se por dormir...

Uma expressiva maioria dos homens ditos civilizados, na caça de emoções brutalizantes, troca as noites pelos dias e, insensibilizados, dormem...

Outros dormem sob hipnose vigorosa de mentes que intercambiam com suas mentes, impossibilitando-lhes o estudo, a atenção, o trabalho...

Dormem no lar, dormem em reuniões de qualquer natureza, quando edificantes e úteis, dormem no transporte, dormem no trabalho...  Hibernam-se pela compulsória obsessiva e, mesmo desencarnados permanecem em estado de sono com os centros da consciência lesados.

Enfermidades se desenvolvem facilmente quando a inércia mental lhes concede campo!

Males se agravam naqueles que, tardos, não oferecem resistência às aflições que os visitam.

Autocídios inconscientes se desenvolvem ignorados, nos que mantêm a casa mental vazia de objectivos superiores.

Amolentados, deixam-se arrastar pela preguiça, e esta trabalha a indumentária que mata, por constrição, o corpo de qualquer ideal em desenvolvimento e asfixia toda expressão de luta.

O título universitário conferido sem mérito é adorno ridículo.

O instrumento que reluz, sem utilidade, torna-se incómodo.

O espírito encarnado inoperante é prejuízo na economia social.

Desperta para a vida.

Exercita mente e membros na acção.

Luta contra os vapores entorpecentes que te vencem a lucidez mental.

Atua, diligente, onde estejas. Em todo lugar há oportunidades para quem gosta de trabalhar.

O problema que muito se destaca na actualidade é o da preguiça.

Empreguismo, facilidade, repouso, amolentamento moral, prazer são condimentos que temperam a preguiça a funcionar qual ferrugem destruidora nas engrenagens do espírito, corroendo o homem.

O cristão decidido, a exemplo do seu Mestre, é actuante, adversário natural e espontâneo desse corrosivo odiento, no entanto, muito requestado e bem aceite.

Quando sentires, sem motivos procedentes e reais, moleza e avassaladora necessidade de repouso demorado, desperta e produz.

Não durmas senão o necessário.

Vigia e ora.

Jesus no Horto, à hora do testemunho doloroso, mais de uma vez, encontrou-se a sós, apesar dos companheiros ao seu lado... dormindo.

E como a desencarnação advirá agora ou mais tarde, prefere partir cansado ou extenuado produzindo para o bem, a partir radiante de saúde e estuante de força nos braços amolentados da preguiça.” [2]

                                    

Antes de passarmos ao terceiro ponto do nosso projecto, gostaríamos de apresentar um extracto de um livro psicografado pelo nosso ilustre amigo Divaldo Franco, de nome “Espirito e Vida”. A “Directriz Espirita”, e tal como o nome indica, tornou-se para nós uma fonte de orientação, de aviso, de luz, para este “caminho” em que enveredámos. Sempre que a lemos, encontramos sempre algo de errado nas nossas atitudes e nos nossos pensamentos e, deste modo poderemos procurar regressar ao caminho certo.

   FFF

Extracto  3

 

Directriz espírita

          “Muitas são as direcções que podes tomar, imprimindo novo curso à vida.

Estradas se multiplicam atraentes, dificultando-te a opção.

Aparentemente conduzem aos redutos onde a felicidade se acolhe festiva.

Vês passarem as multidões dos que seguem os diferentes rumos...

Há em verdade rotas e rotas. Umas conduzem à morte, raras conduzem à vida.

Estás na directriz espírita e pareces seguir a medo, imaginando...

Nem festas, nem fantasias encontras.

A realidade se desvela, apresentando-se legítima.

Vês a dor arrancando a máscara de ilusão das faces envilecidas pelo cansaço, pelo despudor.

Por onde segues enxergas aflições que passam ignoradas por outros, sombreando mais ainda semblantes já sombrios.

Identificas enfermidades minando organizações físicas e mentais que se gastam na perversão dos costumes entre esgares e angústias.

Pode parecer-te que no roteiro escolhido somente estão os trôpegos e estropiados, os enfermos e mendigos sob lancinante opressão.

As outras vias se te afiguram formosas e os que por ali avançam mostram louçania.

Não te enganes, porém.

A ferida purulenta que todos enxergam é irmã menor do cancro ignorado a adentrar-se pelo organismo, em metástase irreversível.

A miséria vestida de andrajos é companheira dos malogros morais escondidos em linho e adamascados custosos.

O festival do prazer termina, invariavelmente, em prólogo de desgraça.

A direcção por onde seguem os fáceis conduz à praça sem nome do remorso tardio.

Numa das suas últimas publicações Darwin registrou que certa vez, embora enfermo e gasto, conseguiu contar ao microscópio mais de vinte mil sementes de determinada planta.

Fresnel, sem dar trégua ao cansaço nem ao abatimento, identificou as “ondas luminosas como sendo vibrações transversais do éter”.

Boas depois de ingentes esforços conseguiu provar que a “raça branca” é de todas a mais mesclada e em nada é superior às demais, ensejando bases para melhor confraternização entre os Homens.

Todos os construtores do pensamento e das ideias que possibilitaram novas conquistas através do tempos vergaram, infatigáveis, ao peso de mil aflições silenciosas, vivendo sob rudes ansiedades, seguindo, no entanto, a direcção da verdade que se empenhavam descobrir.

Não estacionaram ante os fracassos aparentes.

Não desanimaram ao defrontar aspérrimas lutas.

Muitos venderam tudo quanto possuíam para não parar; outros perderam tudo para não desistir; diversos ofereceram até a saúde para não interromper os labores; e o número sem conta doou a própria vida, vítimas que foram dos próprios inventos mas, principalmente da ignorância em várias manifestações, para não abandonarem a honra de investigar os melhores meios de resolver os problemas do homem e do Universo para a felicidade do próprio homem.

Prossegue na direcção espírita.

Há pranto em volta de ti e choras também. Enxuga, no entanto, as lágrimas alheias e as próprias lágrimas usando o conhecimento espírita.

A lição espírita ensina o porquê da aflição e como sofrê-la, oferecendo a luz do discernimento para agires com acerto e seguires com determinação.

Na directriz espírita aprendes “que o egoísmo, o orgulho, a sensualidade são paixões que nos aproximam da natureza animal, prendendo-nos à matéria; que o homem que, já neste mundo, se desliga da matéria, desprezando as futilidades mundanas e amando o próximo, se avizinha da natureza espiritual; que cada um deve tornar-se útil de acordo com as faculdades e os meios que Deus lhe pôs nas mãos para experimentá-lo; que o Forte e o Poderoso devem amparo e protecção ao Fraco, porquanto transgride a lei de Deus aquele que abusa da força e do poder para oprimir o seu semelhante. Ensinam, finalmente que, no mundo dos Espíritos nada podendo, estar oculto, o hipócrita será desmascarado e patenteadas todas as suas torpezas; que a presença inevitável, e de todos os instantes, daqueles para com quem houvemos procedido mal constitui um dos castigos que nos estão reservados; que ao estado de inferioridade e superioridade dos Espíritos correspondem penas e gozos desconhecidos na Terra.

“Mas, ensinam também (os Espíritos) não haver faltas irremissíveis, que a expiação não possa apagar. Meio de consegui-lo encontra o homem nas diferentes existências que lhe permitem avançar, conformemente ao seus desejos e esforços, na senda do progresso, para a perfeição, que é o seu destino final”; conforme definiu Alan Kardec sabiamente no seu resumo da Doutrina Espírita.

Avança, portanto, pautando a conduta na firmeza dos postulados abraçados, e se o caminho parecer áspero, de difícil acesso, recorda Jesus na direcção do Bem inominado sofrendo todas as ingentes manifestações da ignorância e da impiedade humanas sem desistir nem desanimar, para oferecer à posteridade o código de amor e justiça inserto no Evangelho como meio de harmonia perfeita para o espírito em evolução e que hoje reaparece ao teu entendimento na directriz espírita por onde receias seguir...” [3]  

FFF

 

[1] Kardec, Allan – “O Livro dos Espíritos”

[2] Franco, Divaldo Pereira – Espírito e Vida”

[3] Franco, Divaldo Pereira – Espírito e Vida”, pag.15-18

 

 Projecto Raio de Luz Home inqueritos